segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Movimento Zeitgeist: De Teoria da Conspiração a "Anarco-Tecnocracia"




Por onde começar.
No início, surge um documentário chamado Zeitgeist O Filme. Ele apresenta informações duvidosas (não necessariamente falsas) sobre a origem do Cristianismo e o 11 de Setembro, além de avisar sobre um suposto plano de banqueiros para implantar uma Nova Ordem Mundial com todos usando microchips.
Não argumentarei a veracidade disso.

Depois, o mesmo produtor entra em contato com o Projeto Vênus, que apresenta a ideia de um mundo "sem governantes"(não seria a Anarquia?), onde a tecnologia seria a resposta para tudo (Anarco-Tecnocracia?). Peter Joseph (o dito produtor), então lança o segundo filme, Zeitgeist Addendum, onde revela os podres do Capitalismo ATUAL e propõe o PV (não, não é Partido Verde) como alternativa. Ao mesmo tempo, cria o Movimento Zeitgeist que, apesar do que falam, era apenas a campanha publicitária do Projeto.
Confesso que no início me encantei, e isso me levou a tornar-me um anarquista. Mas hoje...vejamos:

1 - Teoria da Conspiração. Apesar da tentativa de desassociar o MZ das afirmações do 1º filme, elas permaneceram, resultando em duas coisas: céticos passaram a desacreditar o Movimento, enquanto religiosos se sentiam ofendidos devido as críticas ao Cristianismo e afirmavam ser tudo armação comunista ateia envolvida com os Illuminati que adoram o Diabo. Saúde.

2 - Informações sobre a Economia. Apesar de serem úteis, são muito vagas. Aquilo tudo se refere apenas ao modelo capitalista norte-americano atual. As falhas apresentadas ja eram apontadas até por outros capitalistas. Só era útil para ignorantes alienados (como eu na época) se situarem e entenderem a gravidade da situação. Também associavam os problemas do mundo ao "dinheiro", o que é ridículo. Dinheiro é problema hoje em dia porque vivemos no Capitalismo. Mas a Propriedade Privada, que não é atacada no documentário, é muito mais problemática.

3 - Desconhecimento político. Usando a típica visão preconceituosa estadunidense, colocavam Comunismo como aquilo que tinha na URSS e China. Também fizeram a merda de se assumir apolíticos, fazendo com que o que parecia um tipo de Anarquia adaptada para a tecnologia atual, terminasse com pessoas propondo Social-Democracia ou uma Tecnocracia "a la marxismo". Quando tentava argumentar em favor do Anarquismo, diziam "isso é uma visão ultrapassada, precisamos de algo novo" ou "não gostamos disso porque acabaremos sendo rotulados e não queremos nos associar a essa imagem para não prejudicar nossa campanha publicitária". Como sabia que isso terminaria em merda, me afastei. Especialmente quando os vi cometer os mesmos erros que os anarquistas diziam que os Marxistas iriam cometer (e que por sinal, o cometeram).

Quem não estuda a História, corre o risco de repetí-la. Mas o MZ e PV não tem porque dar atenção ao passado e suas coisas "ultrapassadas".

OBS: MZ e PV romperam relações. Isso já mostra como irá terminar.

3 comentários:

  1. Se a fé nunca dependeu da história, por que persiste a penumbra sobre os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.
    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir
  2. Se a fé nunca dependeu da história, por que persiste a penumbra sobre os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.
    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir
  3. tirando suas criticas infundadas sobre o capitalismo o resto que vc disse sobre o zeitgest e bem por ai mesmo

    ResponderExcluir